28/03/2009

Venda porta a porta é saída para melhorar orçamento nos EUA

The New York Times
Gazeta Mercantil – SP, Empresas, C-1


Três semanas antes do nascimento de seu terceiro filho, Susan Drucker Hunsaker recebeu mais de 20 mulheres em sua casa em Burlingame, Califórnia, para conversar e tomar refrescos. Também as convidou para darem uma olhada nas bijuterias e joias semipreciosas da Stella & Dot, que começara a vender na semana anterior. Hunsaker, ex-professora de artes do ensino médio com mestrado em educação, vende joias porque precisa de dinheiro, e precisa depressa. Seu marido trabalha por comissão com vendas; a renda do marido caiu pela metade em 2008, e ele espera que o mesmo aconteça este ano. "Já reduzimos as despesas o máximo que era possível", disse Hunsaker. "Sabia, desde que fiquei grávida, que precisaria voltar a trabalhar. Mas com três crianças com menos de cinco anos, se voltasse a lecionar não ganharia o suficiente para pagar quem tomasse conta delas".

Nos primeiros dois meses deste ano, Hunsaker vendeu US$ 12 mil em joias em seis reuniões, levando para casa 30% disso como comissão. Hunsaker não é a única a se voltar para as vendas diretas a fim de esticar a receita familiar. Muitas empresas de vendas diretas divulgam que o número de vendedores que pedem trabalho está aumentando. Em fevereiro do ano passado, 24 novos consultores de vendas se uniram à Stella & Dot; em fevereiro de 2009 essa cifra foi de 160.

O número de novos vendedores na Lia Sophia, outra companhia do setor de joias, cresceu 26% no período janeiro/fevereiro de 2009 frente ao mesmo período do ano anterior; o número de consultores de vendas na Cutco, companhia de fabricação e vendas diretas de objetos para cozinha, avançou 20% em janeiro deste ano, em comparação com o mesmo mês no ano passado.

O crescimento anual médio nas vendas diretas em anos livres de recessão é de 3,3%; nos três últimos anos de recessão - 1990, 1991 e 2001 - foi de 4,5%, informou Amy Robinson, porta-voz da Direct Selling Association, grupo comercial do setor. As pessoas podem usar seus ganhos para saldar dívidas específicas como de cartões de crédito ou como uma maneira de gerar dinheiro enquanto os maridos - ou suas esposas - procuram por emprego, explicou Robinson. As barreiras para entrar nesse segmento são razoavelmente pequenas.

Os kits ou mostruários inicias, requisitados por quase todas as companhias, custam cerca de US$ 99 aproximadamente.Existem muitas organizações legítimas de vendas diretas, e além dos ganhos, a própria experiência como vendedor e possível supervisor de uma equipe de vendas, pode ser valiosa profissionalmente, disse Joel Whalen, diretor acadêmico da Charles H. Kellstadt Graduate School of Business da Universidade de Chicago. Whalen espera que cerca de 30% dos recentemente recrutados permanecerão no ramo das vendas diretas mesmo depois da recuperação econômica acontecer.

Esse é justamente o plano de Amanda McCrary. Ela começou a vender cosméticos da marca Mary Kay em dezembro, quando seu marido foi avisado que poderia ser demitido. "Resolvemos que deveríamos ser proativos e elaborar nosso próprio plano de ajuda", disse McCrary, que também trabalha em tempo integral como gerente de recursos humanos. O casal vive em Detroit com seu jovem filho e está saldando as mensalidades escolares e outras dívidas. McCrary vendeu US$ 1,5 mil em produtos em seu primeiro mês de trabalho com vendas diretas, embolsando 40% de comissão. "Estamos pondo todo esse dinheiro na poupança até descobrir se meu marido será ou não demitido."

Fonte: ABEVD

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vídeos Motivacionais

Loading...