21/05/2009

Ter um ou vários Mentores

Ter um ou vários mentores

Algumas pessoas dizem que não se deixam influenciar, um amigo meu em tom de brincadeira diz que essas pessoas deixaram-se influenciar por aquelas que acham que não são influenciáveis.

Qualquer um de nós é influenciável, a questão é saber escolher por quem queremos ser influenciados.

As pessoas que nos rodeiam são muito importantes para a criação da nossa personalidade e para a formação da percepção que temos das coisas.

Muitas pessoas cometem muitas vezes o erro de pedir conselhos que influenciam a sua vida financeira a pessoas que ainda têm menos sucesso que elas.

As pessoas adoram dar concelhos, mesmo não percebendo nada do assunto de que estão a falar. Como as opiniões são grátis as pessoas dão-nas a um ritmo alucinante, algumas até sem nós as pedirmos.

Alguns anos atrás houve um desastre em Portugal, uma ponte na localidade Entre-os-Rios caiu levando consigo um autocarro e 2 automóveis ligeiros, foi uma tragédia nacional, morreram muitas pessoas e as operações de resgate foram muito complicadas uma vez que estávamos em pleno inverno e a corrente do rio era muito forte.

Como sempre e a fazer jús ao bom espírito português, Entre-os-Rios ficou inundada de curiosos, todos davam a sua opinião sobre como os corpos deveriam ser resgatados do rio, o mais rapidamente possível.

Foi entrevistado um homem, na televisão, que estava completamente transtornado com o péssimo trabalho (no seu entender) que os engenheiros estavam a fazer, foram chamados os melhores especialistas do país, bem como mergulhadores estrangeiros para ajudar, e o homem na televisão, com a convicção inabalável de quem acreditava piamente no que estava a dizer, falava e dava opiniões de tal forma que alguém um pouquinho distraído até pensaria que ele era um especialista na matéria.

Mas era sómente um popular.

A ideia do homem era atravessar longitudinalmente duas grandes embarcações no rio e assim conter a fúria das águas, o rio secava com esta barragem improvisada e assim já podiam resgatar com calma todos os corpos.

A ideia era tão idiota que se alguém acreditasse no que o homem, super convicto, estava a dizer seria ainda mais idiota do que ele.

Infelizmente quando se trata de realizarmos os nossos objectivos financeiros vamos quase sempre perguntar a quem ainda está pior do que nós, ou se não perguntamos, damos frequentemente damos ouvidos a esse tipo de pessoas.

Se eu estiver doente vou ao médico especialista não vou a um sapateiro.

Aquilo que temos de fazer é identificar os melhores na área que queremos dominar, e usar a tecnologia do óbvio. Os japoneses foram muito bons nas décadas de 60 e 70 a copiar os americanos, pegavam no melhor electrodoméstico americano, copiavam-no e depois melhoravam-no, o nível de perfeição 10 dos americanos passou a ser o nível 1 dos japoneses.

E é isso que temos de fazer, temos de copiar pelos melhores, estudá-los, perceber como eles obtêm o seu sucesso, e tentar superá-los.

Se essas pessoas estiverem dispostas a partilhar o conhecimento deles connosco melhor ainda, os livros são um excelente exemplo disso.

Tenho visto muitas pessoas que depois de estudarem uma oportunidade de negócio por exemplo, vão perguntar ao vizinho a sua opinião (ao vizinho que, se o virarmos de avesso, não lhe cai uma única moeda dos bolsos), e é a opinião dele que mais tomam em consideração. Como o negativo tem muito mais peso do que o positivo, na maioria das situações, o saldo final normalmente é negativo.

As pessoas que nos rodeiam são muitas vezes as primeiras a roubarem-nos o sonho.

Uma razão, é porque lidam muito mal com o sucesso dos outros e com o nosso em particular. Esse sucesso recorda-as das próprias cobardias e esse sentimento é poderoso. Muitas vezes o suficiente para tentarem dissuadir-nos se estivermos dispostos a tentar.

Outra das razões é porque gostam muito de nós e querem protegernos do sofrimento e do fracasso numa determinada situação. Isso é absolutamente compreensível e normal, mas devemos ter estas razões em consideração quando tomamos as nossas decisões.

Aquilo que descobri é que somos nós e só nós, os responsáveis pelo nosso futuro e que NUNCA devemos colocar o nosso futuro nas mãos de ninguém.

Podia estar aqui horas a contar histórias reais de pessoas que dão montes de desculpas e montes de razões para não tomarem nenhuma iniciativa, passando a vida a justificar-se porque falharam. Para eles geralmente a culpa é sempre dos outros.

Saiba que quando aponta para os outros, está um dedo a apontar para a frente e três para trás, para si mesmo.

Se não tivermos um sucesso incrível logo à primeira, essas pessoas são as primeiras a dizer: "EU NÃO TE AVISEI?"

Se triunfarmos as mesmas são as primeiras a dizer: "EU SABIA QUE IAS CONSEGUIR, PARABÉNS!"

Por isso somos nós os responsáveis pelo nosso futuro. Os mentores são apenas mentores, cabe-nos a nós aconselharmo-nos com eles pois já percorreram o caminho que estamos a percorrer e sobretudo já atingiram os objectivos a que nos propomos, mas as decisões terão que ser sempre nossas, as verdades de uns podem não ser as verdades de outros.

Sem dúvida nenhuma que ter mentores que nos possam ajudar na área que precisamos é uma das melhores formas de atingirmos os nossos objectivos: será mais rapidamente e mais facilmente.

Por isso procure o(s) seu(s) mentor(es).

Eu não me quero intitular de seu mentor mas provavelmente já percorri algum caminho do rio e sei onde estão algumas pedras, hoje felizmente tenho um grupo enorme de pessoas á minha volta que cooperam comigo e com quem já aprendi mais do que ensinei, e por isso eu e eles estamos aqui para o(a) ajudar a dar os próximos passos que necessita para atingir aquilo a que se propõem.


FONTE: Livro - Marketing de Atracção
Por Silvio Fortunato


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Vídeos Motivacionais

Loading...