09/12/2008

Como Diferenciar o Marketing de Rede que funciona de verdade, daquele que não passa de miragem?

Miopia geral
por Sergio Buaiz


Desde 1993, estou tentando pôr ordem na casa, mas parece que o Marketing de Rede está fadado a ser confundido com pirâmides, correntes da felicidade e toda a sorte de sistemas fraudulentos de enriquecimento rápido, por muito tempo ainda.

É incrível como esse paradigma está difundido na sociedade. Basta falar de Marketing de Rede para as pessoas lembrarem do tio do vizinho que se deu mal, colocando dinheiro em cartinhas que nunca mais voltaram para contar história. Ou então, pensam naqueles sistemas de empilhar cadastros, comprar produtos que não valem nada pelo dobro do preço... enfim, qualquer roubada que se crie leva logo o rótulo: Marketing de Rede. Estou vendo a hora em que vão começar a achar que tráfico de drogas também é Marketing de Rede!

Pode parecer que estou exagerando, mas a verdade é que tem muita gente boa que pensa absurdos sobre Marketing de Rede, porque só conheceu a banda podre, dos sistemas ilusórios (que continuam se proliferando livremente no Brasil).

Outros, até estão bem intencionados, tentando aceitar que o sistema funciona. Eles se esforçam e são colaborativos, mas continuam confundindo alhos com bugalhos.

É o caso dos meus amigos da Revista VENCER!, que me deram a segunda rasteira esta semana. Apesar de me terem como conselheiro da revista há vários anos, continuam sem saber do que se trata a minha especialidade. Publicaram um artigo lindo, muito bem diagramado e assinado por mim, cuja ilustração (elos de uma corrente) e o título “Negócios em Cadeia” são de uma infelicidade atroz. Remetem diretamente ao que NUNCA, JAMAIS, EM TEMPO ALGUM, daria certo. Corrente?! Peguei a revista e fiquei deprimido...

Se for o caso de você comprar essa revista (edição Nº 66), por favor esqueça a página 14 (inclusive a minha foto). Pode rasgar, se quiser... aliás, faça isso
por mim! Queime a página da esquerda e fique apenas com o texto da direita (pág. 15), que é positivo.

Em outubro de 2003, eles também aprontaram comigo. Trocaram o título “Sobram vagas!” por “Ganhe R$ 3 mil sem sair de casa”, o que muda completamente o tom do artigo. Sei que o Marketing de Rede é divulgado dessa maneira por muita gente, mas quem me conhece sabe que eu jamais diria isso. Qualquer coisa que pareça dinheiro fácil me causa arrepios. Isso não existe. Há um trabalho a ser feito, antes de ser remunerado.

Tudo bem. Apesar da reincidência, gosto da VENCER! e sei que não foi por mal. Além disso, seus editores não são os únicos a terem essa visão míope do negócio. O Brasil inteiro está confuso. Afinal, uma coisa é o que as pessoas dizem que é Marketing de Rede. Outra coisa é o que efetivamente funciona, de maneira legal, moral e ética.

A questão é muito séria porque não existe lei específica que regule o Marketing de Rede no Brasil. O ministério público também é míope, lento e omisso. Deixa os sistemas fraudulentos correrem soltos, dizendo e fazendo o que querem, até que uma multidão seja ludibriada. Então, mais uma “empresa de vento” fecha as portas, deixando aquela impressão generalizada de que Marketing de Rede é tudo igual... caramba, isso é tão óbvio!

Já que é para abrir o jogo, vou um pouco mais longe. Neste portal (este mesmo aonde esse editorial-desabafo encontra-se publicado), existe uma comunidade que reúne mais de 1.000 pessoas interessadas em Marketing de Rede, e um Guia de Empresas de Marketing de Rede, com dezenas delas. Eu sou o administrador. Questão difícil: quais dessas empresas são legais, morais e éticas? Outra questão ainda pior: tem alguma pirâmide listada ali? Sou obrigado a reconhecer que sim. Existem várias pirâmides listadas no portal Marketing de Rede, contra a minha vontade. Tenho ódio de cada uma delas, mas não posso evitá-las!!!

Por quê? É simples: não temos autoridade para julgar o que é legal. Isso é dever do governo e dos órgãos competentes. Se eles aceitam o registro de uma empresa que opera como pirâmide, que argumento nós temos para impedi-la de se promover como “oportunidade”? Quem seria louco de comprar essa briga sozinho? Um processo como esse leva anos.


A verdade é que hoje, qualquer “coisa” pode ser Marketing de Rede, atrair multidões e sair na imprensa, como uma grande oportunidade. Difícil é saber diferenciar o Marketing de Rede que funciona de verdade, daquele que não passa de miragem.

Quando o governo e o ministério público resolverem tratar dessa questão com a seriedade que merece, estaremos disponíveis para ajudá-los. Até lá, continuaremos indicando caminhos e fugindo dos respingos desagradáveis que caem sobre nós.


Artigo extraído de: http://www.chance.com.br/nk/artigos.php?o=1225774806&a=417&cat=6 em 09/12/2008 às 20:01.

Vídeos Motivacionais

Loading...